AMEAÇADA DE MORTE, VEREADORA ELEITA DE CURITIBA REGISTRA BOLETIM DE OCORRÊNCIA

Compartilhe:

A intenção é mostrar que isso é crime. Apurar e punir os responsáveis - Carol Dartora
A intenção é mostrar que isso é crime. Apurar e punir os responsáveis - Carol Dartora

A vereadora eleita de Curitiba Carol Dartora (PT), 37 anos, registrou na manhã do dia  7 Boletim de Ocorrência (B.O.) na Delegacia do Núcleo de Combate a Crimes Cibernéticos (Nuciber), após ter recebido e-mail com ameaças de morte.

Ela disse à imprensa que outras mulheres eleitas no Brasil receberam mensagens parecidas e que o objetivo da denúncia é tentar descobrir a autoria das mensagens e se é um ato coordenado. “A intenção é mostrar que isso é crime. Apurar e punir os responsáveis”, afirmou Carol Dartora, que é a primeira vereadora negra eleita na capital paranaense.

Segundo a vereadora, ela pediu para que a polícia faça a segurança dela.

A mensagem recebida pela vereadora tinha ofensas racistas e dizia que a vereadora eleita seria morta com uma “bala na cara”.

“Eu me senti apavorada porque era meu endereço na mensagem. Não dormi essa noite, qualquer barulho na porta eu já pensava que era alguém armado na minha casa”, disse.

A Polícia Civil do Paraná informou que está investigando o caso e que todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas.

De acordo com a vereadora, a ameaça é uma prova de que existe racismo estrutural no país. “As pessoas precisam ter consciência disso. Para mostrar que o racismo estrutura toda a nossa sociedade e organiza toda a desigualdade que a gente vive”, afirmou.

Carol acrescentou que vem recebendo ataques racistas nas redes sociais desde que foi eleita, mas que a ameaça de morte recebida “tem um peso maior”.

Relacionados

Edição Impressa