GOVERNADOR LIBERA R$ 50 MILHÕES E AUTORIZA NOVA FASE DA DUPLICAÇÃO DA RODOVIA DOS MINÉRIOS

Compartilhe:

O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou a ordem de serviço para início da duplicação da PR-092, a Rodovia dos Minérios. O novo trecho abrange o perímetro urbano de Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, e vai receber investimento de R$ 50,7 milhões do Governo do Estado.  O projeto dá continuidade ao trecho de duplicação da rodovia que já está em execução e recebe investimento de R$ 90,6 milhões do Governo do Estado. Com tráfego intenso, principalmente de caminhões pesados que transportam calcário e cimento, a revitalização da PR-092 atende também outros municípios, como Rio Branco do Sul, Itaperuçu, Cerro Azul, Adrianópolis e toda a região do Vale do Ribeira.

“Quando assumi o governo, minha determinação era tirar do papel grandes obras que eram prometidas há décadas, mas nunca eram feitas”. disse Ratinho Junior. “A Rodovia dos Minérios era uma das mais emblemáticas, teve diversos anúncios anteriores, mas as obras começaram no nosso primeiro ano de gestão. Hoje é a maior obra da Região Metropolitana de Curitiba”.

“É uma rodovia de caminhões pesados, que faz uma ligação importante com a nossa Capital. Milhares de trabalhadores passam todos os dias aqui para trabalhar em Curitiba e vice-versa”, ressaltou o governador. “Colocamos a Rodovia dos Minérios como prioridade e hoje anunciamos a segunda etapa de duplicação. É uma obra que está sendo feita toda em concreto, um pavimento de qualidade, que aguenta 20 anos, 30 anos”.

O prefeito Gerson Colodel afirmou que além de melhorar a vida das pessoas que moram no entorno ou precisam se deslocar pela rodovia, o projeto também ajuda na atração de investimentos para o município, com a melhoria da questão logística. “Esta obra é indutor para o desenvolvimento econômico de toda a região Norte da RMC, especialmente para Almirante Tamandaré, que concentra o maior trecho da Rodovia dos Minérios”, disse.

OBRA – A licitação feita pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) é na modalidade de Regime Diferenciado de Contratação Integrada (RDCi), que permite a elaboração do projeto e execução da obra em um único contrato, garantindo mais agilidade ao processo, e prevendo também a possibilidade de empregar soluções e tecnologias mais inovadoras.

Com isso, os primeiros 60 dias de contrato são para a preparação do projeto, para que as obras então sejam iniciadas. O prazo para a conclusão é de 540 dias (18 meses).

A obra terá início no km 14,3, pouco antes da Avenida Colonial, e segue até o km 15,6, logo após o entroncamento com a Rua Lourenço Ângelo Buzato, em uma extensão total de 1,28 quilômetro. A pista central do trecho será alargada para ambos os lados, passando a ser constituída por placas de concreto de cimento Portland de 28 centímetros de espessura, com vida útil de 20 anos.

“Este segundo lote é específico dentro do perímetro urbano de Almirante Tamandaré, porque ele resolve um problema de tráfego urbano, junto com o da rodovia”, ressaltou o secretário estadual da Infraestrutura e Logística, Fernando Furiatti. “A pista vai ser dupla e terá duas marginais, uma de cada lado, para que a população que precisa ir de um lado para o outro não precise acessar a rodovia, vai passar por baixo através de um viaduto. A obra também contempla ciclovia e calçada para pedestres”.

Serão duas pistas de rolamento de 3,6 metros em cada sentido, separadas por uma barreira central de concreto tipo New Jersey e acostamentos internos de um metro de largura, além de acostamentos externos de 2,5 metros de largura. A velocidade projetada para a pista central é de 80 km/h.

No entroncamento com a Rodovia do Calcário (PR-509), está prevista uma nova interseção em desnível tipo diamante, com dois viadutos paralelos e duas rotatórias, além de uma alça exclusiva para o fluxo de trânsito entre Almirante Tamandaré e Curitiba, reduzindo os entrecruzamentos na via.

Também está prevista a implantação de vias marginais nos dois lados da rodovia, uma passarela, passeios, ciclovias e iluminação viária ao longo do trecho duplicado. Para garantir o escoamento da água das chuvas, estão previstos dispositivos de drenagem, como sarjetas, valetas, meios-fios, descidas d’água, bocas de lobo, tubulações e bueiros.

Relacionados

Edição Impressa