PARANÁ DECRETA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA HÍDRICA

Compartilhe:

Falta de chuva compromete vazão de rios, represas e abastecimento de reservatórios.
Falta de chuva compromete vazão de rios, represas e abastecimento de reservatórios.

Decreto estadual permite medidas de racionamento para equilibrar a distribuição de água entre os consumidores

O agravamento da estiagem no Paraná levou o Governo do Estado a decretar situação de emergência hídrica por 180 dias. O decreto, assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior, entrou em vigor no dia 7 de maio. A medida visa evitar que a população possa ficar sem água por um longo período. O texto respalda as empresas que atuam no Estado para tomar medidas de racionamento, equilibrando a distribuição entre todos os consumidores. Fica permitido rodízio no abastecimento por até 24 horas.

O déficit de chuvas já atingiu o Estado de forma generalizada em abril, variando entre 30% a 90% dependendo da região, segundo o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar). O período de estiagem no Estado deve se estender pelo menos até setembro, criando um cenário de seca ao logo do outono e do inverno. Com isso, os mananciais levarão ainda mais tempo para recuperar as condições normais de abastecimento.

De acordo com o governador, o Paraná atravessa a estiagem mais forte dos últimos 30 anos. “Esse decreto permite ganhar agilidade nas ações por parte do Governo do Estado. Precisamos da consciência de todos para evitar o desperdício”, ressaltou Ratinho Júnior.

Relacionados

Edição Impressa